10 dicas para pequenas universidades ganharem destaque no mercado

Como uma faculdade pequena pode conquistar credibilidade e competir no mercado educacional?

Tempo de leitura: 6 minutos. Você vai ler sobre:

  • A realidade do cenário educacional para as pequenas universidades no Brasil;
  • Como sua instituição de ensino deve se posicionar;
  • Possíveis erros que sua universidade pode estar cometendo ao tentar competir com os grandes grupos;
  • Dicas efetivas para solucionar os problemas da sua instituição de ensino e atingir resultados tão bons quanto os das grandes universidades.

Se às vezes para comprar algo tão simples, quanto uma roupa ou um cosmético, nós pesquisamos preços, opiniões e outras especificações, quem dirá sobre escolher a faculdade em que iremos estudar por anos?

Alunos querem ter certeza de que estão fazendo a escolha certa e é por isso que você deve certificá-los disso sempre que possível.

Isso significa estar nos mesmos canais que eles e reforçar sua credibilidade.

Mas em um mercado tão voraz, como pequenas universidades podem superar a concorrência com os grandes grupos, durante a captação de alunos?

A resposta é: deixando de competir com eles.

No artigo abaixo reunimos dicas efetivas para você explorar seu potencial como instituição de ensino e ganhar destaque no mercado educacional.

dicas para universidades pequenas

Como me posicionar?

Quando falamos em deixar de competir com grandes grupos, queremos dizer que é necessário reconhecer que eles têm características, estruturas e dinâmicas que não valem ser comparadas às de pequenas universidades.

Em vez disso, foque no que sua instituição oferece como vantagem ou diferencial — aquilo que os concorrentes não conseguiriam conquistar com facilidade — para definir um posicionamento.

Faculdades maiores raramente conseguem manter um relacionamento próximo e personalizado com seus alunos, por exemplo.

Enquanto isso, universidades menores entendem mais da cultura local, das oportunidades profissionais e do perfil do aluno da região, além de serem reconhecidas pela tradição. Use isso a seu favor.

Mas saiba também, que os grandes têm cabeça de negócios e é necessário enxergar isso como inspiração.

O mercado mudou (e continua mudando), está mais ágil, tecnológico, busca qualidade e preço.

Ainda que recursos sejam direcionados de forma diferentes, observe como os maiores gerenciam sua estratégia digital e então adapte à sua realidade.

Uma pesquisa da 5seleto mostra que alunos que se envolvem com a universidade por meio de inbound marketing têm mais chances de retenção.

Por isso, converse com seus alunos e potenciais alunos para saber em que canais se comunicar, que tipo de conteúdo produzir e que linguagem utilizar.

Estude corretamente o marketing educacional e, se o orçamento permitir, contrate agências e consultorias que auxiliem a execução desse trabalho — e aproveite para aprender com eles também.

Não é do dia para a noite que se vira referência: no mundo digital tudo é baseado em experimentos, monitoramento, acertos, erros e correções. Mas é claro, dá para errar menos a partir de agora.

dicas para pequenas universidades

O que estou fazendo de errado?

1 – Esquecer que há outras pequenas universidades tão boas quanto a sua na praça

A concorrência existe e ela é acirrada.

Esteja atento ao que outras faculdades do mesmo porte que a sua estão comunicando, argumentando e oferecendo em suas divulgações. Para conseguir competir, é preciso saber com o que se está sendo comparado.

Ou seja, uma vez que se sabe quais são os ataques do adversário, fica mais fácil contra-atacar. Para isso, repetimos: é preciso deixar claro quais são seus diferenciais, em toda a sua comunicação.

2 – Pensar que o aluno está fidelizado

Há muita pesquisa e análise antes de escolher uma universidade — no site do Quero Bolsa, por exemplo, 70% dos visitantes ainda não formou opinião.

Mesmo que ele esteja convencido das vantagens de se estudar em determinada instituição, sempre há o que o possa fazer mudar de ideia. Veja isso como um alerta, mas também como uma oportunidade para atrair os mais indecisos.

3 – Ser inflexível no preço

Bolsas, descontos e ofertas devem fazer parte de sua estratégia.

No planejamento financeiro e de marketing da sua captação, dê margem para ajustes ao longo do ciclo e saiba até onde você pode chegar. Por exemplo: rode sua captação por 20 dias com o preço cheio e acompanhe os resultados.

Se eles não estiverem satisfatórios, crie uma campanha relâmpago com X% de desconto por 10 dias. Então gere incentivos para indicações, ou abaixe mais os valores no fim para ocupar vagas ociosas.

Essa elasticidade pode ser determinante para atrair mais alunos ou ajudá-los a se resolverem. Se a matemática for bem feita e a comunicação bem executada, é extremamente provável que o volume seja compensador, ou seja, que você capte mais alunos por um preço menor e a somatória seja um resultado bem acima do que seria uma captação feita com preço cheio.

4 – Tomar medidas emergenciais de última hora

Não é preciso esperar que chegue o final do ciclo de captação para saber se uma meta vai ser batida ou não. Parte do planejamento envolve criar projeções da progressão dos resultados para acompanhamento periódico e calcular o que fazer se a curva não estiver de acordo com o esperado.

É claro que muitos resultados aparecem apenas nas últimas semanas da captação, mas é possível se adiantar ao planejamento das campanhas dessa reta final. Confira neste artigo algumas dicas para trazer mais alunos nessa etapa.

5 – Deixar de ouvir o aluno

Antes, durante e depois da captação: entenda do que precisa e que expectativas tem o seu principal cliente, onde ele está e como se comporta. Esteja também com o time de atendimento a postos, prezando pela eficiência, mas tente também estabelecer uma comunicação proativa.

Que tal, por exemplo, estabelecer um ritual semanal ou quinzenal para ir a campo e conversar com seu público? Pode ser para escutar impressões de alunos, fazer perguntas para entender como pensavam os recém-ingressados antes de se matricularem ou validar ideias de campanha com estudantes que façam parte de uma determinada segmentação.

Independente do método, o importante é implementar uma cultura de foco no cliente. Se o aluno não sentir que a instituição está comprometida com ele, dificilmente irá querer se comprometer com ela.

O que fazer para acertar?

6 – Esteja aberto a se adaptar

O mercado muda a todo momento. Tudo está caminhando para a tecnologia e as instituições precisam ocupar esses espaços de forma estratégica, mantendo olhos e ouvidos atentos às necessidades dos alunos e ao que dizem profissionais que podem ajudar a desbravar novos meios e métodos.

É muito mais raro os alunos de hoje prestarem atenção em propaganda tradicional, quanto mais em jornais, outdoors e flyers. Invista em marketing digital, conheça bem os canais por onde navega seu público e produza conteúdo que possa resolver as dores dele. A pesquisa da 5seleto citada ali em cima diz também que 10% dos cliques em sites se dão por conta de anúncios, enquanto 90% se devem a conteúdo de valor.

Portanto, absorva tudo o que puder sobre SEO e redes sociais e sobre segmentar sua audiência. Quanto mais assertiva e relevante para o aluno for sua comunicação online, mais ele se lembrará de você.

7 – Preze pela credibilidade e satisfação

Indicações de outros (o famoso boca a boca) sempre serão o marketing mais eficaz. E para ser “bem falado”, é preciso ter uma boa estrutura mínima que garanta a satisfação dos alunos. Qualidade de ensino, instalações bem cuidadas e atendimento impecável costumam ser um bom começo para reforçar a reputação da sua marca.

Por isso, esteja sempre inovando na oferta de cursos e programas, investindo na formação de professores e no ambiente da faculdade. Promova pesquisas de opinião que mostrem aos alunos o interesse em servi-lo melhor e permitam priorizar pontos de aperfeiçoamento. É importante se antecipar às demandas e não apenas esperar feedbacks negativos para que seja a hora de resolvê-los.

8 – Conheça bem seus diferenciais

É importante também olhar para dentro. O que você pode oferecer que seus concorrentes não podem? É a tradição? O entendimento das peculiaridades regionais? Preços mais atraentes? Especialização em um nicho? Abordagem pedagógica? Descubra como isso se conecta com as necessidades do seu público e comunique a ele.

Se essa resposta não estiver clara, também vale consultar seus alunos nessa etapa e entender quais as maiores virtudes da instituição na visão deles. Apresentar referências de alunos satisfeitos ou ex-alunos com boa colocação no mercado é outra forma de reforçar esses pontos e mostrar credibilidade.

9 – Aproveite ao máximo o período de captação

Não são todas as faculdades que conseguem captar durante o ano inteiro, mas por que não estender o ciclo por um pouco mais de tempo? Considere: quais são as barreiras burocráticas e crenças limitantes que impedem sua instituição de se posicionar de forma mais agressiva e/ou prolongada? Será que um planejamento com antecedência permitiria eliminar algumas delas?

10 – Tenha sempre um plano B

Não deixe para o final do ciclo o que se pode programar hoje. Sabe que existe a possibilidade de ter vagas ociosas? Pense em ações que possam preenchê-las antes da captação terminar.

Vale usar plataformas como o Quero Bolsa, por exemplo, para oferecer preços mais competitivos e poder ser acessado por alunos que buscam exatamente o que você oferece. Como o ranqueamento dos resultados é inteligente, tanto universidades grandes quanto pequenas têm visibilidade e vantagens equivalentes, se usarem boas estratégias.

Projete possíveis cenários, tenha planos para eles, e assim o período de execução será mais bem aproveitado, garantindo tempo hábil para colocar todas as etapas em prática.

dicas para pequenas universidades

Para lembrar

Há coisas que apenas faculdades menores são capazes de oferecer, por isso antes de tudo entenda quais são seus diferenciais. E então, no processo de captação:

Seja tão flexível quanto possível, especialmente quanto à régua de preços ao longo do ciclo;
Planeje com antecedência, considerando a elasticidade da demanda, projetando diferentes cenários e possíveis ações em resposta a eles;
Dê muita atenção ao seu aluno! Ele é a chave para entender como captar melhor e garantir que sua credibilidade se mantém intacta.

Gostou das dicas para pequenas universidades ganharem destaque no mercado? Então confira neste link 3 etapas para planejar uma captação de alunos vencedora.

Você pode também falar com um especialista da Quero Educação para saber como alavancar sua captação de alunos:

O que você achou deste conteúdo?

Muito RuimRuimRegularBomMuito Bom (média: 5,00)
Loading...

Sérgio Fiuza

View posts by Sérgio Fiuza
Sérgio é VP de Mercado da Quero Educação, startup que já inclui mais de 300 mil estudantes no ensino superior brasileiro por meio da concessão de bolsas de estudo. Além disso, construiu também carreira acadêmica, atuando como professor na Fundação Dom Cabral e Fundação Getúlio Vargas, além de participar de projetos no MIT e na Michigan State University.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
[números e fatos]
[números e fatos]